Carta do Dízimo à Paróquia de Belterra

Foi publicado uma carta sobre o Dizimo como resultado da 1ª. Assembléia Pastoral do Dízimo, com a presença de 40 participantes das 50 comunidades paroquiais de Belterra – cidade, Tapajós, BR 163 – São Jorge e BR 163 – Corpus Christi.

Caríssimos irmãos e irmãs da paróquia Santo Antônio de Pádua em Belterrra, graça e paz da parte de Deus nosso Pai.

O Dízimo, biblicamente dizendo, é a décima parte de tudo o que se ganha; “…e eu te darei a a décima parte de tudo o que me deres”(Gn 28,22). Na igreja, no tempo de Jesus, havia esse costume judaico: “Eu faço jejum duas vezes por semana e dou o Dízimo de toda a minha renda”(Lc 18,12). Consagrando o Dízimo inteiro, o cristão católico, testemunha que tudo o que vem de Deus pertence a Deus e desta forma, assume sua coresponsabilidade para com a comunidade a qual pertence.

O Dízimo não é uma campanha financeira, uma esmola, um pagamento por sacramentos, um donativo e nem aquilo que nos sobra. O Dízimo é um ato de agradecimento a Deus. Nem a Igreja, Deus, os sacerdotes e nem os catequistas precisam de esmolas. Precisam sim de um Templo, uma pastoral e uma missão sustendadas pelo Dízimo, com líderes fortes.“Tragam o Dízimo completo para o cofre do Templo, para que haja alimento em meu Templo”(Ml 3, 10a).

O Dízimo confiado ao sacerdote serve para celebrar culto de ação de graças a Deus:“Vocês também prestarão tributo ao Senhor de todos os Dízimos que receberem dos israelitas. E esta parte reservada para o Senhor deve ser entregue ao sacerdote Aarão”(Nm 18,28). O Dízimo é uma forma digna de sustentação da Igreja, partilha com os necessitados e manutenção da catequese: “Aquele que recebe o ensinamento da palavra deve repartir todos seus bens com o catequista” (Gl 6,6).

O Dízimo serve para ajudar na construção, reforma e conservação do templo de Deus. A família de Deus precisa de uma casa belíssima e confortável que acolha seus membros, para juntos prestarem culto a Deus (cf Êx 25, 1-9). Este templo precisa ser mantido. A responsabilidade é dos fiéis católicos. Todo cristão católico deve consagrar o Dízimo, no entanto, é livre e espontâneo. O apóstolo Paulo exortava a Igreja de Corinto: “Cada um dê conforme o impulso do seu coração, sem pena, tristeza ou constrangimento, porque Deus ama quem dá com alegria”(2Cor 9,7). Quem não estiver convencido deste compromisso cristão, não tem ainda a consciência de pertencer a Igreja e não se sente comprometido com ela. Ser dizimista é uma questão de Fé do católico convencido e convertido pelo Espírito Santo de que, como Igreja, é coresponsável por sua obra evangelizadora.

Por isso, os coordenadores das equipes do Dízimo e catequética da paróquia Santo Antônio de Pádua, nos reunimos de 14 a 15 de janeiro de 2011, em Belterra, na 1ª. Assembléia Pastoral do Dízimo, com representantes das 50 comunidades paroquiais da: mini-área 01- Belterra – cidade, mini-área 02 -Tapajós, mini-área 03 – BR 163 – São Jorge e mini-área 04 – BR 163 – Corpus Christi, totalizando 40 participantes: coordenadores, missionários e animadores do Dízimo.

Na ocasião, foi realizado um minucioso estudo bíblico-pastoral sobre o Dízimo e, por fim, tomamos algumas decisões relacionadas à consagração do Dízimo nas comunidades da paróquia, às quais, todos os cristãos católicos, catequistas e dizimistas, somos convocados a colocar em prática.

1. Trabalhar para aumentar o número de dizimistas e de voluntários à pastoral do Dízimo.

2. O valor do Dízimo deve ser 10% do ganho salarial, aposentadoria, renda ou da produção.

3. O 2º. Domingo de cada mês deve ser dedicado à celebraçao e consagração do Dízimo.

4. O Dízimo e a coleta devem ser conferidos por duas ou três pessoas dentro da capela.

5. A prestação de contas mensal deve ser feita e divulgada na missa ou culto todos os mêses.

6. As comunidades devem enviar a prestação de contas mensal à secretaria paroquial.

7. A prestação de contas da matriz de Santo Antônio será publicada no mural da igreja.

8. As equipes missionárias do Dízimo devem fazer visitas domiciliares aos dizimistas.

9. A tábua dos 12 mandamentos de motivação ao Dízimo deve ser entregue aos dizimistas.

10. O Dízimo Mirim seja criado com as crianças e os adolescentes da comunidade.

Que Deus continue abrindo as comportas do céu e derramando sobre todos as suas bençãos de fartura, para que haja muita felicidade no seio de todas as famílias da paróquia (cf Ml 3, 10c).

Pe. Auricélio Paulino da Silva, pároco.

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: