Conflitos agrários no Maranhão

O nosso leitor do Maranhão, Francisco Holanda, partilha conosco os conflitos agrários que estão afligindo o povo na dicoese de Coroatá.

Em seguida você pode ler o relatório assinado por Antonia Calixto, Pe. Inaldo Serejo e Luis Borges, da Coordenação do Colegiada CPT-MA, e refletir sobre este conflito agrário que ocorreu no dia 26/09 em São Mateus-MA.  “O mundo precisa saber deste absurdo que está acontecendo no Maranhão” afirmou Holanda que trabalha no economato da diocese de Coroatá.

RELATÓRIO – CONFLITO AGRÁRIO

Município: São Mateus

Comunidade: Retiro Velho

Nº de Famílias: 30

Proprietário: Francisco Nobre de Macedo (Paizinho) 

Histórico:

Em outubro de 2002 – 120 famílias foram despejadas dos povoados Pai Mané e Retiro Velho. Após anos de processo na justiça em 2008 o Incra-Ma, recebeu a imissão de posse de 900ha da fazenda em conflito. Em seguida iniciou o assentamento de 30 famílias que foi imediatamente suspenso pela justiça federal atendendo a uma petição do latifundiário que alegava produtividade da área. O Incra recorreu da ação.

Em dezembro de 2008, as famílias cansadas da espera e morosidade do INCRA, reocuparam a área de posse. O latifundiário ingressou com o um pedido de reintegração de posse na Justiça Estadual que, em janeiro de 2009, concedeu a reintegração. Os lavradores recorreram ao Tribunal de Justiçam, mas perderam.

Em 01/07/09, pela manhã, sem que os camponeses fossem notificados, sem que o Ministério Público acompanhasse houve o cumprimento da liminar. As famílias não puderam retirar os seus pertences pessoais, animais, produtos das roças, tampouco fazer a colheita do arroz.

No último dia 25 de setembro  as famílias decidiram retornar à área..

Pistoleiros  ataca Posseiros da Comunidade Retiro Velho:

Na tarde do dia 26/09 (sábado) por volta das 15:30h – 20 homens armados e encapuzados invadiram a área onde 20 famílias já estavam acampadas, chegando a pé iniciaram um tiroteio (espingarda 12 e revolver 38) contra os mesmos, feriram José Antonio Gonçalves Bastos (Caetano), 30 anos casado, com 09 tiros de espingarda e revolver. Foram reconhecido pelos trabalhadores o latifundiário Francisco Nobre e o filho Zé Leite.

No seu depoimento o agricultor atingido Antonio Gonçalves Bastos fala dos momentos de horror que a comunidade viveu diante do ataque, foram 10 minutos de tiroteio, o acampamento foi transformado em uma praça de guerra. Os trabalhadores reagiram e Francisco Nobre Macedo foi atingido e gritou para que matassem todos. Os trabalhadores recuaram se embrenhando no mato.

O clima é tenso na região os trabalhadores estão ilhados dentro da terra cercado de pistoleiros, estão precisando urgentemente que as autoridades competentes tomem providencias cabíveis por que o risco de morte é iminente. 

São Mateus (MA), 28 de setembro de 2009. 

Antonia Calixto, pe. Inaldo Serejo, Luis Borges

Coord. Colegiada CPT-MA.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: